Resenha: Quando Ela se Foi - Harlan Coben

quinta-feira, maio 30, 2013

Sinopse: 

Dez anos atrás, Myron Bolitar e Terese Collins fugiram juntos para uma ilha. Durante três semanas, eles se entregaram um ao outro sem pensar no amanhã. Depois disso, eles se reencontraram apenas uma vez, quando Terese ajudou Myron a salvar seu filho. E ela foi embora, sem deixar vestígios.Agora, no meio da madrugada,ela telefona:“Venha para Paris.” Terese pede a ajuda de Myron para localizar o ex-marido, Rick Collins, que telefonara depois de anos implorando que ela o encontrasse em Paris. Eles logo descobrem que Rick foi assassinado e que Terese é a principal suspeita do crime. Mas algo ainda mais atordoante é revelado: perto do corpo havia longos fios de cabelo louros e uma mancha de sangue que o exame de DNA revelou pertencer à filha do casal. Só que sua única filha morrera em um acidente de carro muitos anos antes. Logo Myron se vê perseguido nas ruas de Paris e de Londres. As agências de segurança de quatro países parecem querer as mesmas informações de que ele precisa para desvendar a morte de Rick e o destino da filha que Terese pensava ter perdido para sempre. Em uma busca desesperada, Harlan Coben cria um mundo de armadilhas imprevisíveis em que conflitos religiosos, política internacional e pesquisas genéticas se mesclam a amizade, perdão e a chance de um novo começo.


Minha Opinião:

Tenho que admitir que este livro me surpreendeu, quando li a sinopse não me interessei muito e também fiquei com um pouco de receio quando fiquei sabendo que fazia parte de uma série, já que não conhecia os outros livros, pensei que ficaria perdida durante a leitura. Mesmo assim resolvi tentar, pois já havia lido um outro livro do autor antes e gostado muito (Confie em Mim), e devo dizer que não me arrependi nem um pouco. Diferente do que eu pensava o livro é bem completo, sem confusão ou referencias significantes a outras histórias da série, o enredo é bem desenvolvido e não deixa pontas soltas no final (apesar da última página ter me deixado um pouco curiosa).
A escrita do autor e os personagens são ótimos, o Myron é um narrador excepcional, adorei a maneira como ele descreve os fatos e o seu ótimo senso de humor, eu achei a relação dele com Terese muito bonita também por conta do laço de confiança que os dois compartilham. Outro personagem pelo qual eu me apaixonei foi o Win (Windsor Horne Lockwood III),  melhor amigo de Myron, que as vezes até mesmo rouba a cena do personagem principal. Win é um ricaço que a primeira vista aparenta ser apenas mais um playboy metido a besta, mas que na verdade conhece variadas formas para matar uma pessoa e possui inúmeros contatos influentes no mundo todo. Além disso ele também é um tarado, excêntrico, sarcástico, esnobe, metido a justiceiro solitário, mas acima de tudo um ótimo amigo e muito engraçado. Os diálogos entre ele e Myron e a suas piadinhas infames me fizeram dar boas gargalhadas. Esses fatores contribuíram muito para que eu não abandonasse o livro no começo, pois o enredo caminha a passos lentos no início. O que depois eu vi que não é tão ruim já que assim a história ficou mais bem explicada e com os fatos acontecendo no seu tempo certo, sem muita correria.
Mas agora vou parar de falar dos personagens e de detalhes menos importantes e me dirigir ao que interessa: O enredo. 

"[...] Terese Collins me ligou às cinco da manhã, transportando-me de um sonho quase erótico para outro. Sem rodeios, ela disse:
– Venha para Paris."
E é assim que começa essa aventura. Há 8 anos atrás Myron e Terese tiveram um breve "relacionamento", depois disso eles só se viram uma vez quando ela o ajudou a salvar seu filho, até que em uma bela madrugada ela liga repentinamente e diz para ele ir a Paris, chegando lá ela pede para que ele a ajude a encontrar seu ex-marido que depois de anos ligou para ela desesperado dizendo para que o encontrasse na mesma cidade, pois ele tinha uma revelação a fazer que mudaria completamente sua vida. Porém assim que ela chegou ele sumiu. Logo se descobre que na realidade ele foi assassinado e que Terese é a principal suspeita do crime. Agora, buscando provar a inocência da mesma, descobrir quem esta por trás do assassinato de Rick Collins e o que era a grande revelação que ele pretendia fazer a Terese antes de morrer, Myron entra em uma trama extremamente perigosa, contando com a ajuda de seus fieis escudeiros Win e Esperanza, acaba se envolvendo em algo que pode decidir o futuro de milhões de pessoas. (infelizmente não posso revelar muita coisa, pois se fizesse soltaria spoilers. Falar sobre livros de suspense sem soltar spoilers é realmente um grande desafio já que as melhores partes são os spoilers, dai você fica se coçando pra não contar para todo mundo.)
Como diz a sinopse, o livro é cheio de armadilhas e surpresas, sempre tem um fato novo aparecendo e toda vez que algum mistério é desvendado dois novos parecem surgir. O mistério é tão complicado que quando o final ia se aproximando eu já estava com um nó na cabeça e tinha desistido de fazer suposições, pois toda vez que eu fazia uma teoria ela era descartada nas próximas páginas. Chegou a um ponto em que achei que aquilo não teria solução nenhuma ou que o autor iria deixar um monte de pontas soltas, mas então como em um passe de mágica, quando fim chega todas as peças se encaixam e a resposta aparece, e nos deixa de boca aberta.
Tudo isso parecem ser características para um perfeito romance policial, não é? mas acontece que é exatamente o que este livro é, então quem gosta do gênero com certeza não ira se arrepender ao ler. Eu particularmente fiquei ainda mais encantada com o Harlan e estou ansiosa para ler mais livros de sua autoria, principalmente se forem da série de Myron Bolitar.


You Might Also Like

4 comentários

  1. Olá, passei apenas pra dizer que já estou te seguindo e voltarei aqui futuramente pra fazer comentários sobre os posts.
    Seu blog é maravilhoso, convido você e suas leitoras a conhecer meu blog
    http://toobege.blogspot.com.br/
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Thrillers é uma coisa que não me agrada muito. A ideia de que as personagens hão-de estar sempre a ser culpadas de um crime que não cometeram e que tem de fugir / ser seguidas por uma entidade que, por alguma razão desconhecida, que se torna conhecida, as querem assassinar / um ser amado não era quem dizia ser e tem de fugir para escapar a toda e qualquer perseguição. Há incontáveis autores a apostar nesse formato...
    Mas este livro assim quase que me despertou a curiosidade, talvez pela forma como expuseste a história. E a citação do William, foi o Toque. Eu ADORO o cantor ;)

    bjs,
    http://annieslifestyle.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu li a sinopse desse livro também não me interessei muito, apesar de gostar de trillers eu já li tantos que a maioria se tornou clichê pra mim, por isso pensei que esse seria mais um assim, mas como tinha gostado de outro livro do autor resolvi tentar. E... De óbvio esse livro não tem nada! A sinopse não conta nem 1/3 da história tem muuuuito mais coisa por trás do que qualquer um seria capaz de imaginar (pelo menos eu acho), e além disso, os personagens dele simplesmente te encantam, não tem como não rir com as cenas do Myron e do Win por exemplo, ou ficar invejando a relação de confiança do Myron e da Terese...
      Uma coisa que me indigna na verdade é que Dan Brown faça mais sucesso que esse autor, porque a diferença de qualidade entre os dois é notável. Por exemplo se você ler um livro do Brown provavelmente já vai conhecer todos os personagens, porque ele só muda o nome e a profissão e os vilões normalmete são muito obvios. kkkkkkk
      Bjos
      Desculpe o desabafo kkkkkkk

      Excluir