Resenha: Caixa de Pássaros

quinta-feira, julho 23, 2015


Angustiante, acho que não vou encontrar adjetivo melhor para definir esse livro do que está.
A visão é um dos nossos principais sentidos, talvez o mais usado, então imagine ter que se privar disso por vontade própria para poder sobreviver num mundo onde existem criaturas cujo uma única olhadela e você está condenado a uma morte terrível.

Título: Caixa de Pássaros
Autor: Josh Malerman
N° de Páginas: 272
Nota:
Sinopse: Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.


Caixa de Pássaros é o livro de estréia de Josh Malerman, cantor e compositor da banda High Strung, publicado no Brasil pela editora Intrínseca. Ele é um livro pequeno, possuindo apenas 272 páginas e eu deixo o mesmo conselho de Hugh Howey que está estampado em sua capa; é um livro para ser lido de uma só vez, até porque, depois que você começa é quase impossível parar.
 
O thriller psicológico conta a história de Malorie, uma moça de 20 e poucos anos que se descobre grávida logo quando os primeiros casos do que é nomeado pela mídia como "O Problema" são noticiados pelo mundo.
O livro acompanha a protagonista durante o presente, 4 anos depois do início do "Problema", enquanto ela tenta com seus dois filhos atravessar o rio que existe atrás da sua casa, tudo sem abrir os olhos, e no passado, durante os primeiros meses do surto e de sua gravidez.

O Problema, logo se descobre ser o aparecimento de criaturas desconhecidas até então. Criaturas que no momento em que são vistas despertam um surto de insanidade violenta que sempre termina em suicídio. 

"- Seja o que for - continua Tom -, nossas mentes não conseguem entender. Pelo que parece, as criaturas são como o infinito. Algo complexo demais para nossa cabeça. Sabe?"
Rapidamente a sociedade vai se desfazendo, o número de vítimas vai aumentando cada vez mais e logo restam poucos sobreviventes na cidade de Malorie. Ela logo procura por um abrigo em um anúncio que viu sobre uma casa que estava abrindo portas para outras pessoas. Lá ela se encontra com um grupo de pessoas que tenta junto sobreviver naquele novo mundo.

"Ela imagina a casa como se fosse uma grande caixa. Quer sair daquela caixa [...] O planeta inteiro está trancado nela. O mundo está confinado à mesma caixa de papelão que abriga os pássaros lá fora. [...] Encaixotados, pensa. Para sempre."
Do que você tem medo?
Ao ouvir essa pergunta você provavelmente poderá pensar em várias respostas; aranhas, palhaços, escuridão...
Mas e se o seu maior medo fosse algo desconhecido, algo que você nunca poderá saber como se parece porque no momento que isso acontecer sua mente vai ser destruída.
Essa é um dos motivos que mais dão agonia nesse livro, não existem monstros assustadores e sustos em cada página, mas existe esse desconforto do desconhecido. 
Eles não sabem como essas "criaturas" são, elas podem ter qualquer forma, podem fazer qualquer coisa, e toda vez que eles saem para fora da casa onde as criaturas estão eles precisam fazer isso vendados. Então imagine o terror de não saber o que pode estar perto de você e de não saber identificar o que você tanto tem medo. Diante disso tudo se torna assustador e alguns simples passos para fora da casa podem se tornar momentos tão agoniantes que fica difícil suportar.

Outros problemas também surgem ao longo do caminho, todos sabem como ser humanos são e como costumam se comportar em ambientes de pressão psicológica. A sanidade de alguns pode ser mais frágil que a de outros.

"O homem é a criatura que ele teme."
Eu posso dizer que esse foi um dos livros que conseguiu me deixar mais tensa enquanto eu lia, tensa de uma forma boa e ruim. Eu não conseguia largar a leitura porque eu tinha a impressão de que a qualquer momento poderia acontecer alguma coisa. 
Logo no início da história você recebe algumas informações sobre o que aconteceu no passado da Malorie, mas ao invés de isso desanimar sua leitura por você já saber como certas coisas terminam isso só te impulsiona cada vez mais porque você quer descobrir como as coisas acabaram daquele jeito, porque acabaram daquele jeito.
Enfim, realmente nunca tinha lido um livro como esse, foi bem interessante ficar angustiada desse jeito, e embora essa sensação normalmente possa ser associada a algo ruim posso dizer que nesse caso a angustia vale a pena.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Este livro está sendo muito comentado pelos blogs, confesso que a princípio não vi nada de mais, mas gosto da ideia de ser um livro que nos deixa angustiados e curiosos.

    Adorei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir